quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Grupo fraco - parte 5


Temos sinais contraditórios vindos do jogo de hoje. Por um lado temos a primeira parte, por outro lado temos a segunda. Por um lado mantemos uma seca de golos e por outro mantemos a nossa baliza inviolável num campo muito pesado e difícil. Por um lado, estamos numa posição que, à segunda jornada, não era provável e dependemos de uma vitória em casa para passar, por outro não vamos discutir o primeiro lugar que há partida era um objectivo natural perante os adversários neste grupo.

Mas hoje estou numa de 'copo meio cheio' e vou falar primeiro do que gostei e de algo que valorizo muito nesta equipa. A atitude demonstrada na segunda parte tem de nos encher de orgulho. Após uma primeira parte de algum sofrimento e de pontapé para a frente sem critério, perante um adversário que precisava de ganhar para passar, a segunda parte é toda nossa. E estivemos a um nível brilhante em certas variáveis do jogo, nomeadamente a agressividade, a atitude competitiva e a recuperação rápida da bola, incluindo muitas recuperações no último terço do campo. Pena que estivemos, mais uma vez, medíocres na definição. Mas a conclusão que posso tirar deste jogo é a de que esta defesa de 'faca nos dentes' e esta juventude que temos no ataque não se rendem. Uma equipa que joga com esta atitude merece ser apoiada e protegida! Claro que se tem de falar de árbitros!

Não obstante, tenho vindo a que Nuno está a trabalhar melhor ao nível da psicologia, do que ao nível da táctica. O problema que vejo é que me parece que muitas das críticas que apontamos à equipa, nomeadamente o posicionamento em organização defensiva e o excesso de bolas sem nexo por alto e em profundidade não vão mudar, porque me parece que fazem parte da ideologia do treinador. Nuno não quer ter a bola muito tempo na defesa. Tenta-se arranjar rapidamente opções de passe curto e, se elas não aparecem, bola na frente e pressão nas segundas bolas. Nuno quer aproveitar o espaço nas costas da defesa adversária e, para isso, está disposto a encostar a sua própria linha defensiva à sua própria baliza. São as ideias dele. Habituem-se! Eu tenho de confessar de que gosto da atitute mas acho que está a ser desperdiçada em ideias que são curtas para o talento individual que temos na frente nomeadamente nos pés de Corona, Otavio e Oliver. De vez em quando, vamos apanhar jogos em que o adversário está mais habituado a lidar com chuveirinho, como aconteceu na primeira parte de ontem, e aí o futebol vai parecer ridículo. Mas outras vezes vamos ter adversários que lidam mal com esta pressão, como o Benfica, e aí podemos brilhar mais.

Individualmente, estou indeciso entre dar o MVP a um dos centrais ou a Otávio. Em caso de desempate vale o meu gosto pessoal e fica Otávio. Foi muito importante na segunda parte naquelas recuperações no último terço e jogou com uma intensidade máxima. Os centrais fizeram um grande jogo, num terreno muito complicado e perante avançados que estão habituados a jogar ali, com aquela temperatura e com aquela humidade. Grandes! Gostei também muito de Oliver e Corona na segunda parte. Este último acabou por ser o que melhores decisões de definição tomou porque Jota e André Silva... Muita entrega e intensidade para tão más decisões no final. Os laterias tiveram dificuldade mas foram crescendo no jogo. De assinalar o facto de Nuno não ter mexido na equipa. Se estavam a jogar bem, só fatores físicos justificariam uma mudança.

Para Sábado só posso desejar um 0-3 com um hat-trick de penaltis marcados por André Silva. Para animar! Temos de manter a pressão até ao derby da tv a preto e branco.

8 comentários:

Anónimo disse...

Otávio melhor jogador?!!!

prata disse...

Respondo a este anónimo porque me parece que ele concorda ou está a fazer eco da pontuação que foi dada ao Otávio pelo Jogo de hoje.

O jornalista deve ter visto um jogo diferente do que eu vi. Mesmo que não se perceba a influência na segunda parte do FCPorto ao vivo, basta consultar as estatísticas. Otávio foi o jogador com mais passes, com mais passes para situação de golo, com mais desarmes, com mais tackles e com mais recuperações no meio campo adversário.

Que escolham um dos centrais ou Oliver ou Corona, aceito. É de doidos o Jogo dar-lhe um 4.

Anónimo disse...

Para mim o melhor foi o Corona. mas esse nem interessa.

Artur

Anónimo disse...

Oliver 1 golo e zero assistencias em 14 jogos explica mta coisa do que vai mal no ataque do Porto. Lembro que ele nao joga a medio defensivo, mas sim a 8. Jogador bom e util na fase defensiva e transicao ataque defesa. Nao chega para um numero 8. Manifestamente insuficiente.
Outro grande problema ja identificado por muitos, mas assumido por muito poucos: nao temos avancados de qualidade! Nao me venham com a historia de que o Andre S corre demasiado e por isso na hora de finalizar esta cansado. Tirando o esforco e sacrificio o que faz ele? Bruto e trapalhao, comete inumeros erros nao forcados. Nao tem instinto de pta lanca. Ao menos o Pena conseguiu ser o melhor marcador do campeonato uma vez na vida, coisa que Andre S temo que nunca venha a conseguir. Atencao que eu, tal como todos os portistas, desejava mesmo ver um jovem tuga das camadas jovens do porto a ser um craque, mas ainda nao e desta...
Concordo que nao se pode exigir mais dos jogadores. Eles dao tudo, mas falta realmente qualidade individual (assim como falta qualidade ao NES)

Anónimo disse...

Não foi por nenhum jornal que fiquei admirado pela nota ao Otavio. Foi pelo jogo que eu vi.
Por aquilo que vi, Otavio, Diogo J, André Silva, Oliver e Maxi Pereira são merecedores da mesma nota = esforçados e pouco produtivos.

reine margot disse...

Anónimo, também não vi esse jogo mau do Maxi ... na segunda parte foi importantíssimo a levar a equipe para a frente, a dar linhas de passe, a colocar a bola com critério.
- Nem vi jogo mau do Oliver. Nem do Otávio.
Para falar a verdade achei que o André e o Jota estiveram uns furos abaixo do que se lhes pede. E, os cabeceadores dos cantos idem aspas.
E, sobretudo, como diz o Prata, falta já há algum tempo alguém que não tenha medo de estourar lá de trás ! O Ruben começou assim, mas como falhou algumas, e logo os assobios choveram, ele resolveu resguardar-se... Dores de crescimento.

prata disse...

Será por terem opiniões destas que não têm coragem de assinar. É que basta um nome falso...

O maxi tem um lance em que brincam com ele e parece que só vêem isso... Já vejo muitos a pedir o Layun que é o nosso melhor lateral a atacar mas é de longe o pior lateral a defender e viu-se em Brugges e em casa com o Boavista, por exemplo.

Faltou dizer que, apesar de eu gostar bastante de Evandro, André André fez por merecer participar nesta partida, depois do que fez na segunda parte em Chaves. Por mim tinha prioridade.

miguel87 disse...

Prata, o Maxi é um buraco na nossa defesa, já o era o ano passado (basta ver os inúmeros golos sofridos e constatar que ele raramente aparece na imagem...) e este ano continua a ser. Uma coisa é defender posicionalmente, encostado atrás, como quase sempre temos visto esta defesa, outra coisa é em lances que a defesa ainda não está completamente posicionada, a facilidade com que os adversários conseguem tirar Maxi da jogada e explorar o espaço que deixa nas costas, acontece "n" vezes. Não vejo assim tão grande diferença para o Layun.

Do Oliver tenho a mesma opinião que segundo anónimo, produz muito pouco para o tempo e a posição que joga, mesmo sendo vitima deste sistema (como a generalidade dos jogadores, com excepção dos centrais e trinco), já na primeira época que cá esteve, mesmo num sistema mais favorável para ele, não me convenceu por aí além, e lembro-me até que as melhores exibições da época foram quando ele se lesionou e o Evandro começou a jogar no lugar dele, não sei se terá sido apenas coincidência... Já esta época, apenas um jogo bem conseguido contra o benfica, como quase todos os jogadores, e um fogacho aqui ou ali, como aquela abertura para o André Silva na terça feira. Muito pouco para um numero 8.

Reine Margot disse:
"André e o Jota estiveram uns furos abaixo do que se lhes pede"
Discordo completamente, a uma dupla de avançados como esta que tem que jogar constantemente em 50 a 60 metros, não se pode pedir muito mais do que já fazem.
Jogamos como equipa pequena, pressão muito baixa e linhas ainda mais baixas, deixam constantemente os avançados em particular e a equipa em geral com 60 a 70 metros para galgar até à baliza adversária. Esse desgaste paga-se caro na hora da definição da jogada de ataque; e digo definição e não finalização, porque ao contrário do nosso treinador não vejo onde está tanta falta de eficácia, pois isso implica criar oportunidades - que não as vejo em quantidade suficiente para falar em tanta falta de eficácia assim.

Como já aqui escrevi há meses, temos jogadores para muito mais e melhor, mas infelizmente com este treinador a tendência será para o desgaste cada vez maior dos talentos em vez da evolução do potencial que têm e capacidade que podiam dar à equipa num contexto adequado.

Enquanto isso os culpados máximos de tudo isto continuam na sua, a olhar pelos seus interesses e a envergonhar o clube e quem gosta dele sem ter nada em troca, como ainda hoje podemos ler mais uma vez coisas como o Herrera poder ter sido vendido por 30 milhões no último dia do mercado, mas recusaram a proposta porque contavam com ele para o play off com a Roma...para além da mentira óbvia e flagrante, para quê voltar a insistir nisto depois de acontecer o que aconteceu no jogo com o benfica?? Gostamos de nos embaraçar a nós próprios!?
Mas como 79% dos sócios fizerem questão de continuar neste rumo, os outros 21% (onde me incluo - e não foi por ter escrito "Viva PdC" no boletim) só temos que nos resignar e esperar que largos dias não tenham 100 anos... É que já vamos para o quarto largo ano 100 dias felizes!